segunda-feira, 14 de julho de 2008

Poder de síntese

Minha rua em São Paulo é cheia de hotéis. Melhor: é cheia de hotéis curiosos. Digo isso porque se dividem muito claramente em categorias, pra não deixar dúvida alguma para seus hóspedes em potencial. Por exemplo:





Ficou claro? Nesse, pode-se levar pai, mãe, vovó ou até mesmo a namoradinha recente -a mesma que certamente seria barrada neste aqui:





A preocupação no letreiro diz tudo. Nele, o nome do hotel e a lembrança de que não serão tolerados nos quartos e demais dependências comportamentos mais ousados do que roncar feito um porco na cama.

Nenhum letreiro, porém, é mais claro e cristalino do que este aqui:




É isso. Hotel. Ou, como prefiro, hotel Hotel. O melhor nome possível. E o resto fica para a sua imaginação. A minha diz: patrões e secretárias. Café requentado. Almoços de 4 horas de duração. Crimes passionais. Privada de descarga com cordinha.

Fica na mesma rua em que isso aqui aconteceu. Se tudo tivesse ocorrido em um hotel, dá para imaginar em qual? Eu aposto qualquer barra de sabonete Sabonete que saberia apontar onde foi o barraco.

Um comentário:

Ana disse...

hahahahaha
genial! ja ta em sp?

Related Posts with Thumbnails