quinta-feira, 6 de novembro de 2008

FIGURAS URBANAS FOLCLÓRICAS: VOCÊ AINDA VAI ESBARRAR COM UMA

Quem me conhece - ou quem lê o blog há um tempinho - sabe que eu sou fascinado por lendas urbanas. E quando elas surgem em formas humanas, melhor ainda. Estou falando das figuras folclóricas dos grandes centros. Gente como eu e você que não são gente como eu e você. Pessoas espetaculares em suas particularidades.

Resolvi dedicar um post a cinco dessas pessoas. São duas daqui do Rio, uma de Belo Horizonte, outra de São Paulo e uma de Curitiba. Conheça as figuraças:



A MULHER DE BRANCO





Ana Maria de Carvalho era(?) uma conhecida moradora de Ipanema que se notabilizava por circular pelo bairro vestida de branco dos pés a cabeça, não importa o clima ou a situação. Só pela foto ao lado já dá para ver o quanto ela - também conhecida como a "Louca de Ipanema" - chamava a atenção das pessoas ao redor. A Revista Básica fez uma ótima entrevista com Ana Maria, em que foi revelada que ela foi atriz e cantora da banda Brasil 66, de Sérgio Mendes. Diz-se que ela não anda mais por Ipanema, e que nem mora mais por lá - ou pelo menos, não na sua residência clássica, na rua Nascimento Silva. Ou seria na Alberto de Campos? Não lembro. Só sei que ela anda sumida...
(Foto: Blog Avenida Copacabana)



O HOMEM DO CARRO AMARELO



João Antônio Lara Campos se tornou famoso junto aos paulistanos por ser o ilustre proprietário do carro da foto acima: um vistoso Farus amarelo. E o mais engraçado é que ele costuma ser visto não a bordo do veículo, mas sentado/encostado do lado de fora dele, devidamente estacionado em uma grande avenida de São Paulo. João - ou melhor, o Homem do Carro Amarelo - tem até comunidade no Orkut, com mais de 3000 participantes. Nela, há um tópico em que a filha dele se apresenta e convida os integrantes a fazerem perguntas sobre o pai. Hah!



BAT BIKE



Infelizmente, pouco se encontra na internet sobre Bat Mike (aka Eduardo Lopes Santos), o sujeito que faz rondas ciclísticas pela noite de Belo Horizonte a bordo de sua bicicleta superultraequipada com luzes e sons. O máximo que encontrei foi este vídeo- compilação de melhores momentos de algumas entrevistas, e uma delas é com Bat. Ele aparece demonstrando o poderio de seu veículo e contando que inibiu as ações de um ladrão, assustando-o com sua sirene. Eis aí um verdadeiro herói!



OIL MAN

Já o professor aposentado Nélson Rebello é mais famoso do que seu colega ciclista justiceiro. Oil Man também tem comunidade no Orkut - de mais de 9 mil pessoas! - e verbete na Wikipedia Esse aí é corajoso: ficou famoso por andar de bicicleta - é, as figuras parecem amar as bikes - pelas ruas de Curitiba usando apenas tênis, sunga e tendo o corpo besuntado de óleo. Oilman também ganhou os palcos curitibanos com a sua Oil Band, grupo que faz versões punk de sucessos de Elvis da qual é vocalista. Quer dizer, nem sei se o grupo ainda existe, mas Oil Man continua firme e forte em suas aparições diurnas...


Em breve postarei os perfis de outras duas figuras, só que cariocas. E vocês, conhecem algum outro figuraça ou mesmo já viram alguns dos quatro acima zanzando por aí?

12 comentários:

marisinha c. disse...

Carlão, sou sua fã pelo blog de Lost, mas descobri esse outro. Muito massa! Aqui na minha cidade tem umas figuras lendárias, uma delas estudava na minha faculdade... grande sujeito e sua mae vestida de azul da cabeça aos pés. Dizem que ele 'largou' a mãe e foi pra Sp... deve ser lenda. hehehe.. é cada uma..

tati disse...

Eu sempre vejo essa mulher de branco na praia de Copa, quando vou pro trabalho!

Gabriela Spinola disse...

Eu spu basicamente a lenda viva daqui de Uberaba: eu joguei Toddynho em TODO MUNDO do COC durante uma briga com uma colega por causa de um menino e um jogo de Handebol...

Carlos Alexandre Monteiro disse...

Marisinha, obrigado por descobrir meu outro blog. Volte sempre! E vê se tira foto da mulher de azul e me manda!

Tati, tira a foto também! :D

Gabi, conta mais, heheh...

beijos!

Kaká disse...

Em Copacabana tem outra mulher que sabado e domingo ela se veste com um macacão de lycra verde (pinta o cabelo também de verde) e fica andando só na parte preta do calçadão (ou só na branca). Ela vai do Leme ao posto 6.
toda vez que eu estou aí no Rio eu vejo essa mulher.

já vi a de branco também.

Wellington Ricelli disse...

Topp
adorei
uahauahauah

Carlos Alexandre Monteiro disse...

Kaká, fotografa e manda pra mim! ;)

Valeu, Wellington!

Laila disse...

Carlão... pergunta só para sua esposa que não me deixará mentir, mas aqui do outro lado da poça tb temos uma figuraça o índio "pocaroupa"... o cara anda pela cidade vestido de índio de arco e flexa e tudo !!!

Beijoooos

Gabriela Spinola disse...

Carlão, a história aconteceu há 2 anos e é a seguinte: eu briguei com uma colega, a Isabella, porque queria ir jogar Handebol no recreio, e ela não queria me deixar ir sozinha, então eu chamei ela e ela respondeu que não iria gastar a sola do sapato de 500 reais dela.

Tá bom, eu fui, sozinha, jogar Handebol com o Rafa e o Fred, Eis que a patricinha começa a gritar meus podres pra todo mundo ouvir. Aí virou briga, de tapa soco e chute.

Quanto aos meus podres é aí que entra a história do menino, o Vinicius, meu melhor amigo desde a 1ª série e ex-namorado dela (e ela o chamou de gay uns dias atrás lá na outra escola em que estudamos - no plural porque ela resolveu mudar de escola e ir justamente pra minha escola pra me infernizar).

Até aí tudo bem, só que a briga se extendeu tanto que tinha gente do colegial saíndo da aula pra ver o barraco! Quando chegamos na sala de aula, tinha tanta gente do lado de fora pedindo briga que eu não aguentei e muni-me do meu Toddynho para melecar todo mundo até que parassem de me zoar.

Eis, então, que virei a lenda da menina do Toddynho, a CDF do COC, a melhor aluna da escola que melecou todo mundo durante um - supostamente - pacato recreio.

Rach disse...

Ih, eu vejo a mulher de branco pelo menos umas duas vezes por semana! Tá sempre aqui pelas quadradezas da Nossa Sanhora, Barata Ribeiro, Santa Clara e Figueiredo!

Tá sumida não!

Rubia Karol disse...

O Oil Man é figura estranha aqui em Curitiba, o pior é quando ele resolve usar uma sunga branca, que, com todo aquele óleo pelo corpo fica meio bege/transparente, tem uma mulherada que adora, mas eu particularmente acho que ele devia aposentar essa por que na rua andam crianças, senhoras idosas, todo tipo de gente e isso pega mal!!

Adial Júnior disse...

Sobre o Oil Man é meu amigo e acho que não tem problema algum. Se fosse assim então na praia ninguém poderia usar sunga porque lá também tem muita criança e até idosas. Por que ninguém fala da programação de baixo nível da televisão hoje em dia então?

Related Posts with Thumbnails