terça-feira, 11 de novembro de 2008

A ONDA SEM-VERGONHA DOS REMAKES DO CINEMA

Tem algo de muito errado em Hollywood. Saiu hoje no G1 a notícia de que o filho do Will Smith fará parte de um remake de "Karate Kid". A produtora Platinum Dunes já aprontou a versão 2008 (a ser lançada em 2009) de "Sexta-Feira 13". "Poltergeist", um clássico,também vai voltar a ser filmado. Nem "Os Pássaros", de Hitchkock, escapou da onda.

De novo: tem algo de muito errado em Hollywood. Nos últimos tempos, a fome por remakes anda bem exagerada... e errada. Não é possível que tenha gente que ache em sã consciência que "Poltergeist" e "Os Pássaros" precisem de uma refilmagem - e "tanta gente", para mim, são os cinéfilos, já que os estúdios só pensam mesmo em ganhar muita grana. Para mim, a questão não é nem se as novas versões têm chance de ser melhores, mas sim se precisam mesmo existir, independentemente da sua qualidade. Na real, não tem nem dúvida: não precisam.

Eu olho de cara feia para essa tendência sem qualquer ranço, pois uma coisa que não sou é purista. Sou fã das continuações - desde que sejam bacanas ou pelo menos
justificáveis - e já conferi e gostei de 237523 adaptações de séries e/ou quadrinhos para o cinema. Mas uma coisa é você continuar uma história, ou mesmo contar o que aconteceu antes de uma trama consagrada (o famoso prequel); a outra é inventar de pôr uma nova roupa em um filme que deu certíssimo, com a idéia de jerico de que, por ter sido sucesso à sua época, merece ser refeito para dar certo de novo. A probabilidade de isso dar certo tende a zero. Será difícil de se perceber isso?

Vejamos esse novo Karate Kid - que, diz a matéria linkada acima, se manterá "fiel à trama original". É mentira. A história original é de Daniel LaRusso, um garoto de seus 15, 16 anos, branco, de um bairro pobre de Los Angeles, iniciado nas artes marciais pelo sr. Miyagi, um veterano de guerra radicado nos Estados Unidos.

Então vejamos: Jaden Smith, o filho de Will Smith e que será o novo protagonista da história, tem 10 anos de idade e é negro. Forçar a barra e fazer desse menino o novo Karate Kid é como pegar o Brad Pitt e colocá-lo pra ser o novo Shaft. Aliás, bom lembrar: "Shaft", o filme lançado em 2000 e estrelado por Samuel L. Jackson - ator que, atual e infelizmente, estará na versão 2.0 de "O Último Dragão" -, era uma continuação do clássico dos anos 70 do cinema e da TV... e até que é um bom pipocão. Não disse que eu não era purista?



Vamos lá: certo...


E errado...


Mas voltando: no caso de "Karate Kid", o que faz a idéia de uma nova filmagem do longa ser evidentemente idiotice é lembrar do ícone maior projetado pelo filme: o senhor Miyagi, personagem de Noriyuki "Pat" Morita, ator falecido em 2005. Qualquer imbecil sabe que "Karate Kid" foi o que foi por causa dele, e ainda sim se propõem a tentar sem o carismático treinador. Não sei o que é pior: se uma versão da história original sem Miyagi ou escalar qualquer um para o papel dele, sendo que seu sucessor nunca vai conseguir superar o original - ao menos para uma geração que cresceu vendo Morita encarnar o papel.

Ou seja: não há chance de dar certo. E faz muito menos sentido de uns 20 anos pra cá, desde a época em que consumir cinema passou a ser um hábito controlado domesticamente pelo público, através de VHS, passando ao LD, ao DVD e, finalmente, aos AVIs e MPGs. Na comparação, é óbvio: sob os ensinamentos de Miyagi, LaRusso vai fazer o vôo do cisne e enchulapar o rosto de um moleque de 10 anos com e/ou sem covardia.

Se dependesse de mim, por conta de seus ótimos serviços prestados, certos longas-metragens seriam tombados, tornando-se proibida sua refilmagem. Ou muito melhor, sendo menos radical e mais gentil, com uma solução mais legal: que se relancem os filmes antigos nos cinemas. Garanto que os bons filmes vão chamar um público gigantesco e as produtoras vão lucrar sem gastos gigantescos - no máximo uma (justa) remuneração extra a todos os envolvidos nas produções originais, o que certamente será 1/1000000 do custo da regravação de tudo. Na verdade, isso já foi feito, com George Lucas e a trilogia antiga de Star Wars.

Queria eu que os estúdios seguissem essa idéia, e que se ocupassem de levar à telona apenas histórias novas de bons roteiristas, ou pelo menos continuações com bons ganchos e de respeito máximo às suas "matrizes"; mas eu, vocês e toda a torcida do Flamengo sabemos que não será assim. Por isso, em respeito aos Miyagis, LaRussos, Jasons, Hitchkocks e Spielbergs, torço veemente contra esses remakes preguiçosos e gulosos. Porque, se tem um jeito de fazer essa história mudar - com todo e qualquer trocadilho - é com milhões de poltronas vazias.

6 comentários:

Davi Garcia disse...

Belo texto CA. Acho que essa tendência preguiçosa, na verdade tem muito a ver com o medo (ou covardia mesmo) dos estúdios de tentar coisas novas. Na cabeça desses caras é mais fácil usar o apelo de marcas consagradas que inevitavelmente acabam atraindo a atenção do público, do que dar espaço à idéias novas e ousadas. A única esperança que fica é a de que os bons e velhos indies continuem revelando boas surpresas de vez em quando e que sempre existam vozes que se levantem contra esses remakes caça-níqueis. Quanto aos métodos dos grandes estúdios, resta o desejo de que não cometam absurdos maiores que esses citados no seu texto. Só de pensar que algum chefão maluco pode resolver refilmar O Poderoso Chefão, já fico com calafrios.

Abraço!

Kaká disse...

Preguiça mesmo. Acho que é por isso que a tv anda mais interessante que o cinema (mainstream) lá nos EUA.

A idéia de passar filmes antigos no cinema é boa, eu iria a vários (inclusive o Karate Kid hehehe).

Eu adoro Os Passáros, dúvido que façam melhor que o original.

Gi disse...

Concordo plenamente! Ótimo texto.
Ontem tb vi notícia semelhante, referente a refilmagem do excelente filme coreano "Old Boy". Supostamente teria Will Smith como protagonista e seria dirigido ou produzido pelo Spielberg.
Tb me pergunto: qual a necessidade?

marisinha c. disse...

adorei o texto e eu iria para os relançamentos de todos os filmes que você listou aí. mas remake, não vejo nenhum... nenhum... hehehe

Jeferson disse...

Como fã do teu blog (e do Lost in Lost), vou fazer meu 1º comentário no Tudo... concordo em gênero, número e grau com tua opinião! Tanto que da onda de refilmagens, pra mim a mais patética foi "Psicose" com o Vince Vaughn! Desnecessário ao extremo! E falando especificamente de "Karate Kid", a "alma" do filme com certeza é o Sr. Miyagi! Mas tem um "porém" nisso tudo Carlos Alexandra: quem tá por trás do guri do filme? Sim, WILL SMITH, o pai dele! E sabemos que tudo que Will Smith toca, vira ouro em Hollywood (tá, com exceção de "As Loucas Aventuras de James West")! Então afirmo desde já: sem Sr. Miyagi e mais trocentas coisas que fizeram o filme ser "bom" na época, não terá problema! Fará sucesso! Pode apostar! Porque Will Smith tá envolvido! É fato!
Abraços e parabéns pelos 2 blogs!

Jeferson

Carlos Alexandre Monteiro disse...

Davi, essa seria heresia máxima!

Kaká, nunca farão melhor... e o pior é que vão tentar. Nem deveriam! ;)

Gi, nenhuma. E o "Old Boy" original é ótimo mesmo!

Marisinha, ver clássicos na telona seria espetacular. Quem sabe algum cinema não encampa a idéia? Aliás, poderia ter umas salas especializadas só em reprises. Dependendo da seleção, nunca ficariam vazias!

Jeferson, eu sei que Will Smith atrai bilheteria, mas não será como o original. Nunca! ;) E obrigado pelos parabéns... Volte sempre!

abraços!

Related Posts with Thumbnails