sábado, 11 de abril de 2009

POR UMA TELEVISÃO MAIS DIVERTIDA: MINHAS TRÊS VERSÕES DE BIG BROTHER BRASIL

Eu prometi, eu cumpri: disse que não iria comentar sobre o Big Brother Brasil 9 neste blog depois do tal post sobre as dez frases mais batidas do programa. Lembram?

E agora que a bagaça acabou, resolvi compartilhar com vocês as três versões que criei para o programa. Variações que, por motivos óbvios, nunca serão produzidas; mas que seriam bem divertidas, disso não tenho dúvida...


BIG BROTHER BRASIL SEM CARISMA

Esse é muito simples: o Big Brother Brasil Sem Carisma tem a participação de todas as pessoas que foram os primeiros eliminados de suas respectivas edições do BBB. Tive a pachorra de catar os nomes dos ditos cujos. Pela ordem: Caetano, Rita, Paulo e Samantha, Tatiana, Juliana, Juliana Canabarro, Juliana Lima, Jaqueline e Michele.

O BBB Sem Carisma tem como vantagem não fazer ninguém ficar meses grudado na tela: o programa só duraria dez dias graças à sua regra principal: vence quem sair primeiro da casa.

A apresentação do programa ficaria por conta de Marisa Orth, já que a aceitação dela à frente da primeira edição do BBB foi mínima; e certamente seria vencido por alguma Juliana - não apenas porque elas seriam maioria na casa mas sobretudo porque elas são a prova de que Julianas não costumam se dar bem nesse negócio de BBB.


BIG BROTHER BRASIL BEBUM


Novamente o nome do programa diz quase tudo: esta edição reuniria todos os ex-participantes do BBB que se notabilizaram por beber demais nas festas. O all-star da cachaça teria a Leka, o Zulu, a Pri...

Outro detalhe fundamental: toda a comida da casa seria trocada por bebida. Nas compras, gorós de todos os tipos: de álcool Pring a Veuve Cliquot, além de passeios como visitas a alambiques e fábricas de cerveja. E, claro, a prova da comida seria a prova da bebida.

Naqueles sorteios de brindes, em vez de celulares, computadores e etc., os brothers concorreriam a geladeiras cheias de cerveja, adegas climatizadas, coqueteleiras, jogo de copinhos de shot...

Outra coisa: os participantes só poderiam comer nas festas e/ou no quarto do líder - que seria decidido em provas de resistência (etílica) ou de conhecimentos gerais (testes cegos de cerveja, vinho, whisky...). Quem sobrar vivo, fatura o milhão!


Já a terceira versão do programa, bem... eu a visualizo em um comercial. Tela preta. Pisca a imagem de Diego Alemão, que some em fade. O mesmo com Marcelo, o psiquiatra do penúltimo BBB. O mesmo com a Tina, aquela barraqueira. O mesmo acontece com os demais participantes. E aí vem a voz em off: "Você já os viu uma vez. Agora verá todos juntos".

Exatamente: é o ALL-STAR BIG BROTHER BRASIL.

O programa teria nada menos do que 21 participantes: os cinco vencedores mais marcantes da história do programa, os cinco mais malucos(as), os cinco maiores vilões e os cinco mais bizarros.

Falta um, certo? E ele aparece na tela, todo malandrão, logo depois da fala do locutor que descrevi acima, dizendo: "E eu também vou estar nessa!". Quem? Alexandre Frota!

Imaginem as festas. As provas do líder. Os paredões! Frota x Bambam, Alemão x Dhomini, Tina x Tatiana Giordano... Sucesso.

* * *

De novo: nunca veremos essas três edições no ar. Mas se rolassem, eu juro que assistiria - não sem antes entrar na justiça pra cobrar royalties pela criação delas...

3 comentários:

Ricardo Rente disse...

rialto! =D

Juliana Teixeira disse...

Tá vendo, é por isso que eu nunca me inscrevi pro programa... :P

Laila disse...

O BBB All Stars já é uma velha "criação" lá de casa, eu e Gustavo ainda temos a esperança de que o BBB 10 seja All Stars :) Mas com certeza "Frotinha" precisava estar junto e sair no último dia sem ganhar nada !!! hahahahah

Todos os realitys shows fazem all stars o BBB devia aderir a moda .

Beijos

Related Posts with Thumbnails