sexta-feira, 19 de junho de 2009

"2012", O CRISTO CAINDO E O UPGRADE BRASILEIRO NAS CATÁSTROFES DA FICÇÃO

Uma twitada na tarde desta quinta me levou ao trailer de "2012", novo lançamento do cinema-catástrofe. E algo nele me chamou a atenção em especial. Dica: não é o "momento 'Heroes'" que acontece aos 19 segundos...





Sim, eu já sei que você também se surpreendeu com a tal cena, que nem precisava citar literalmente mas vou fazê-lo de qualquer jeito: o desmoronamento da estátua que ocupa o Corcovado. Porém, mais do que a incrível transformação do Cristo Redentor em Vênus de Milo, o que me causou espanto foi a inclusão de uma cena passada no Brasil no trailer de um filme sobre acontecimentos de proporções mundiais e sobretudo negativas. Essa foi a segunda ocorrência disso em tão pouco tempo - a outra foi no trailer de "V", novidade/remake da ABC, em que o Rio é uma das cidades contempladas com a visita de uma nave alienígena trazendo seres nada amistosos.

Chamem de orgulho besta ou do que quiserem, mas eu não consigo evitar o sorrisinho de satisfação ao ver o Brasil aparecer nas séries e filmes gringos - talvez a razão esteja em minha infância, em que fui exposto algumas vezes à amizade de Zé Carioca e Pato Donald em "Você Já Foi à Bahia?". Desde que me entendo por gente, toda vez em que um filme ou seriado estrangeiro começa a mostrar cenas de algo que começa a acontecer em diversas cidades do mundo, sempre torço para mostrar alguma brasileira, ainda que não seja o Rio. E se isso acontecia muito de vez em quando, é curioso ocorrer agora, e mais de uma vez em circunstâncias longe de serem agradáveis. E isso estranhamente me deixou feliz.

Voltando ao "muito de vez em quando" de cenas envolvendo o Rio em filmes e séries mostrando diversos cenários mundiais, prestem atenção: antes, o Brasil só aparecia na boa. Mas agora não é mais assim - além dos dois exemplos acima citados, lembrei do Lula em South Park. Nos três casos, temos o país associado a três catástrofes mundiais - e não perguntem o motivo, mas para mim isso parece um sinal de que o nosso país começa a ser encarado de forma especial pela gringada. E por especial entenda-se: de forma ordinária.

Exibir o Rio em toda a sua beleza é como apresentar um panorama novo, como mostrar um cartão postal; mas apresentar o atrativo principal, ícone-mor da beleza carioca, indo pro cacete é como dizer: "Ok, vocês já conhecem o Cristo que fica no Rio que fica no Brasil; agora, imaginem-no desmoronando!". Ou seja: transformar a nossa estátua principal em pó passou a significar. Se "Superman 3" tivesse sido filmado hoje - aquele, em que o herói, sob efeito de uma kriptonita bizarra, começa a agir estranhamente, chegando a endireitar a Torre de Pisa, entre outras coisas -, talvez o Homem de Aço também teria derrubado o Cristo, como agora o diretor Roland Emmerich fez.

Mesmo sabendo que "2012" tem aquela vocação de ser mais do mesmo, a cena do Cristo ruindo é impactante, sendo também uma das mais bem-feitas do trailer acima - e talvez a única referente ao Brasil em todo o longa. Talvez isso seja bom, pois se mostrarem mais periga vermos papagaios, macacos e homens correndo em desespero. Pensando bem, não seria de todo mau pra quem tem a manha de rir da própria caricatura. Bem, seja lá qual for a escolha de Emmerich, ele já ganhou pontos comigo. JJ Abrams, "Cloverfield 2" por aqui, que tal?

5 comentários:

Diego Reigoto disse...

Cena muito bem feita. Postei o trailer lá no meu blog tb, CA. Com referência, é claro!

Abraço

Patricia Matos disse...

Lembra quando tínhamos aqueles filmes em que o World Trade Center era atacado, a estátua da liberdadE era destruída, etc? Aquilo era como uma demonstração de poder. Era como dizer "esse é o símbolo da nossa sociedade [norte-americana, no caso] e só pode ser destrído por uma força realmente poderosa, como a da natureza ou vilões realmente malignos". O norte-americano brincava com essas possibilidades na ficção até isso se tornar realidade.

Agora o poder econômico e cultural não está mais tão centralizado nos Estados Unidos e, por isso, eu também sinto um pouquinho de orgulho, assim como você, ao ver essas referências ao Brasil. Destruir o Cristo Redentor é assumir que este é um símbolo importante pra toda a humanidade e seu desmoronamento representa muito mais do que o fim de um belo cartão-postal.

Beijos! Adoro o blog! XD

lucianalencar disse...

Oi, Carlos. Fiquei feliz com a sua visita ao meu blog. Sou fã antiga do Lost in Lost, desde os primeiros podcasts e gosto muito também do "Tudo está Rodando". Não sou muito de comentar, mas, acompanho seus posts. Temos algumas amigas em comum, a Ligelena (do IG) e a Ana Freitas (do Olhômetro) que trabalha comigo. Esse mundo internético é uma ervilha (como disse Amyris Fernandes em sua palestra, rs). No próximo evento, perderei a timidez e falarei contigo. Continue escrevendo muito, pois é muito agradável lê-lo (e ouvi-lo). Beijos!

orlando dias disse...

Resultado da inclusão do cristo nas novas maravilhas do mundo , agora viramos algo dos aliens e catastrofes .. rs

Cecilia disse...

Também fico toda-toda quando mostram algo do Brasil, e isso que nem me considero lá tão patriota. Por exemplo, foi emocionante ver o nome Rodrigo Santoro em "300" e principalmente em "Lost", embora o personagem fosse um horror.

Não sou fã de filmes catástrofes, mas os acho interessante. Esse me parece muito bacana! Ainda mais com nosso pobre Cristo indo ao chão. :P

Related Posts with Thumbnails